ASSISTÊNCIA REGIONAL

assistencia regional _1150px

 

ANO 2016|2017

Os objetivos principais da Equipa Regional da Assistência (ERA) configuram a essencial tarefa deste sector de trabalho na associação, que são concretamente: Representar o Bispo Diocesano no CNE e animar, com os dirigentes leigos, a comunidade escutista, no sentido de ela ser espaço eclesial de evangelização e vivência da Fé.

Algumas das estratégias a concretizar prolongam-se mais uma vez necessariamente da memória e do trabalho efetuado, pois mantêm atualidade e necessidade.

Entre essas estratégias destacamos os objetivos da ação pastoral que a diocese estabelece de futuro como referência para os seus serviços, obras, associações e movimentos recriando espaços e tempos para os cristãos poderem viver o seu ser em Cristo e o envolver e consciencializar as pessoas no papel e ação que possuem na construção de um mundo melhor – diretrizes que irão dirigir o compromisso regional no espaço diocesano.
Outra circunstância a ter em conta é em 2023 o CNE celebrar os seus 100 anos, num marco histórico de oportunidades quer na identidade, na abertura, na integração, na comunhão e no processo de evangelização em que está integrado o CNE, reconhecimento este que continua a ser uma das chaves de interpretação de um itinerário a concretizar na participação das atividades e a materializar na cooperação entre todos os níveis de responsabilidade, não só ao nível regional mas nos outros sectores de intervenção e atuação.

Continua também a ser uma preocupação permanente o crescimento e participação da Região. Esta tem sido uma preocupação constante da Junta Regional e nela da ERA: o crescimento sustentado e a expansão integrada da associação pela região. Como já sabemos há agrupamentos em todos os dez concelhos que integram a região de Aveiro; havendo um em processo de fundação: Oliveira do Bairro, no concelho com o mesmo nome e outro em refundação de Valongo do Vouga (875). Das 101 paróquias da diocese apenas 46 têm agrupamentos. Num conjunto reduzido, o número de habitantes em algumas paróquias e as suas perspetivas de crescimento não permitem o surgimento sustentável de uma estrutura de agrupamento. Mas esse é um desafio aos serviços da região e à igreja diocesana. Desafios novos deverão trazer soluções inovadoras e compromissos renovados. Como já foi dito, há 46 agrupamentos na região, e a Junta Regional continua a manter contactos e diligências junto de alguns párocos e suas comunidades. Gostaríamos todos de, até 2023, ano do centenário do CNE, ultrapassar mais de metade das comunidades paroquiais da nossa diocese com agrupamentos do CNE.
Existe depois uma atenção especial na dinamização da Formação de Dirigentes. Neste momento o CNE, e nele a nossa região, passa pela assimilação do renovado Sistema de Formação de Adultos no Escutismo. O momento presente, a promoção, a participação, o acompanhamento e o enriquecimento na região destes novos ciclos de formação são uma prioridade com perspetiva de futuro.

É motivo de atenção o “Programa Educativo”, sua compreensão, normal implementação e o desenvolvimento de oportunidades. Como já foi tantas vezes referido, após um tempo razoável de iniciativas para renovação da animação pedagógica do movimento e nele do CNE, passamos agora por numa fase de estabilização nos agrupamentos dos pressupostos do Programa Educativo; continuamos a estar muito atentos e envolvidos neste percurso e assim como iremos contribuir para a sua execução. Seguindo esta ótica, o desenvolvimento e agilização dos recursos proporcionados pelo Campo de Formação de São Jacinto, da gestão da Junta Regional, continuarão ser suscitadas algumas iniciativas, trazidas pela continuidade e avaliação de um trabalho já desenvolvido. A ERA procurará, junto dos assistentes potenciar este apoio e acompanhamento, que pretende aprofundar e motivador para o desenvolvimento espiritual. Iremos estar atentos às várias comemorações e oportunidades que são propostas a vários níveis e que irão trazer certamente consigo meios e uma diversificação variada de recursos – todos eles oportunidades para a vida da associação, entre outros níveis na região, e nela da espiritualidade cristã.

Há também a considerar que a presente equipa da Junta Regional – Mandato 2014-2017, conclui este ano a caminhada de trabalho marcada por uma “nova maré de escutismo com sal”. As eleições traçam sempre novos dinamismos, neste acaso para os próximos três anos – até 2020, sendo que as candidaturas deverão guiar-se tendo como base as responsabilidades que lhes advêm da matriz identitária da associação e do elo espiritual indissociável do movimento.
O trabalho da atual ERA vive da atuação articulada e comprometida com as demais equipas de trabalho regional. Mesmo aquelas atividades mais específicas terão sempre o natural suporte e o essencial apoio da ERA no âmbito das secções de trabalho pedagógico da região e dos restantes departamentos e serviços regionais.

Pe. Manuel Augusto Marques de Oliveira
Assistente Regional

Diácono Élio Simões
Assistente Regional Adjunto

 

ANO 2015|2016

I. ABERTURA
A Assistência Regional, constituída pela Equipa Assistência Regional de Aveiro (EARA), procura, ano após ano, dar seguimento, nos contextos, nos recursos e nas realizações, assim como no envolvimento, na motivação e na proximidade, à missão definida e estabelecida por delegação, pelo bispo diocesano.
Anualmente, e mesmo que se sinta repetida esta apreciação, a compreensão dos objetivos da EARA e o entendimento das estratégias que a ela se ligam, tomando a consciência prévia da sua normal transversalidade, agilizam o acompanhamento e realização das ações e a concretização de algumas atividades e tempos específicos na vida do CNE – na Região de Aveiro.
É na progressiva compreensão deste desenho alargado de ação, e de longo prazo, que iremos iniciar o “Ano Dois” desta equipa da Junta Regional – refrescada pela entrada de novos elementos, pela novidade tipo trabalho conjunto e pelos desafios de um diagnóstico feito no contacto com as realidades regionais da eclesealidade, da gestão e da pedagogia. Este mandato, orientado pelo dinamismo simbólico do “(re)temperar do sabor”, encontrou a região a receber a última fase da “Renovação da Ação Pedagógica” na primeira vaga de incremento do novo Sistema de Formação de Adultos, no mesmo ano que se iniciou também o arranque do processo de Avaliação do Programa Educativo depois de quatro anos de vigência [teve o seu ano piloto em 2009 e a sua implementação alargada em 2010]. Como já tinha sido reconhecido no ano passado, o desenvolvimento do plano regional no atual contexto, coloca sérias provocações na oportunidade de novas e empenhadas lideranças, no estímulo responsável de um trabalho em equipa organizado, estruturado e consciente.

II. OBJETIVOS
Contexto
Falamos agora dos necessários e oportunos contextos gerais que influenciam conscientemente qualquer plano e neles os seus pressupostos e as suas atividades.
Após um ano de atividade pastoral na nossa diocese feita de contacto e de conhecimento das realidades, D. António Manuel Moiteiro Ramos convoca entre Junho e Novembro toda a diocese – pessoas e grupos de dinamização eclesial, de forma a estabelecer um Plano Trienal Diocesano [2015-18] declaradamente convocado pelas recentes inquietações da Igreja Local, especialmente numa orientação para a missão, participação, transformação e proximidade. Este documento anual, e o Plano Trienal da Junta Regional que lhe deu suporte, está conscientemente comprometido com esse dinamismo diocesano.
É um lugar comum referir que a vida do Corpo Nacional de Escutas (CNE) tem concretização junto dos agrupamentos, perto dos grupos e no contacto e interação com crianças, adolescentes e jovens. É por isso que a ação pedagógica na associação, que se traduz no “Programa Educativo do CNE” e no recente “Sistema de Formação de Adultos”, ainda coloca desafios às lideranças locais no âmbito da implementação e incremento. A EARA está atenta a estes dois pólos de dinamismo e para além de concretizar algumas realizações nessas vertentes, de forma a contribuir para uma melhor agilização de papéis (funções) e intervenções procurará acompanhar, irá – dada a sua transversalidade – apoiar, incentivar, enriquecer e contribuir para o trabalho desenvolvido.
Metas
Recordamos assim que a EARA irá continuar o seu trabalho no sentido de representar o Bispo Diocesano no CNE e animar, com os dirigentes leigos, a comunidade escutista, no sentido de ela ser espaço eclesial de evangelização e vivência da Fé.
Queremos ousar … ser escuteiros…

III. Oportunidades
> Plano Trienal Diocesano [2015-18] Igreja de Aveiro, Vive a Alegria da Misericórdia
A Diocese de Aveiro para os anos de 2015 a 2018, terá um plano alicerçado no símbolo do lava-pés. Até ao momento (ainda está em revisão) o plano revelou três linhas de orientação comuns – Fé; Esperança; Caridade – que estão presentes no subtemas e nos objetivos a serem vividos em cada ano entre 2016 e 2018. O primeiro ano deste plano está necessariamente em sintonia com o Ano Santo da Misericórdia a celebrar durante 2016.

> Década para o Centenário
A celebração, há 2 anos atrás, dos 90 anos da associação e a celebração dos 100 anos da chegada a Portugal do movimento são uma oportunidade única para lançar alguns projetos de médio e longo prazo, no desenvolvimento e expansão dos vários níveis da associação e na implementação, avaliação e revisão do Programa Educativo. Desta forma, em 2023 o CNE vai celebrar os seus 100 anos, um marco histórico de oportunidades quer na identidade, na abertura, na integração, na comunhão e no processo de evangelização em que está integrado o CNE, reconhecimento este que poderá ajudar a um incremento na participação e a materializar a cooperação entre todos os níveis de responsabilidade, não só ao nível regional, mas nos outros setores de intervenção e atuação.

> Crescimento e Participação da Região
Continua a ser uma preocupação constante e revista da EARA e das equipas regionais dos últimos anos, o crescimento sustentado da região e a sua expansão apoiada e integrada da associação pela região. Há agrupamentos em todos os dez concelhos que integram a região de Aveiro [que se organiza territorialmente pela diocese] Silva Escura, no concelho de Sever do Vouga e Oliveira do Bairro, no concelho com o mesmo nome avançam para ser os próximos agrupamento a serem fundados. Verificamos assim que das 101 paróquias da diocese apenas 44 têm agrupamentos. A perspetiva será que até 2023, ano do centenário do CNE, metade das comunidades paroquiais da nossa diocese com agrupamentos do CNE. A EARA continua a intervir e a marcar uma participação e presença fundamental nesse setor e nos seus processos, quer de forma direta, quer nos vários níveis e modalidades de responsabilidade junto da vida diocesana.

> Dinamização da Formação de Dirigentes
A nossa região passa agora pela estabilização do renovado Sistema de Formação de Adultos no Escutismo, procurando neste ano escutista encerrar e validar o 1º PIF (Percurso Inicial de Formação). Presentemente, a promoção, a participação, o acompanhamento e o enriquecimento destes ciclos de formação são uma prioridade da EARA.

> Programa educativo e oportunidades
Desde 2009, com a fase piloto, que se encontra em fase de estabilização nos agrupamentos o Programa Educativo. Entrámos em 2015 num período de aferição da implementação desta primeira fase de vigência de 4 anos do PE – esta avaliação durará pelo menos até 2018. A assistência estará atenta e envolvida nos vários processos e continuará a contribuir para a sua execução. Seguindo o mesmo critério e vontade do plano anterior, o desenvolvimento e agilização dos recursos proporcionados pelo CENFA de São Jacinto, da gestão da Junta Regional, continuarão a suscitar algumas iniciativas, trazidas pela continuidade e também pela avaliação de um trabalho já desenvolvido. Estamos a concluir em 2015, e queremos novamente recordar, a década Internacional “Água para a Vida” e estamos na parte final da década das Nações Unidas para a “Educação do Desenvolvimento Sustentável”, sendo que este ano de 2015 ainda se vive o Ano Europeu para o Desenvolvimento. Para além disso, iniciámos há pouco tempo a década, também no âmbito das Nações Unidas, sobre a Biodiversidade. Também há a considerar neste ano de 2015 o Ano Internacional da Luz e também dos Solos.
Teremos em 2016 o Ano Santo da Misericórdia, o 29.º jubileu na história da Igreja Católica, um Ano Santo extraordinário, que vai começar na solenidade da Imaculada Conceição a 8 de Dezembro deste ano de 2015 e terminará a 20 de Novembro de 2016, domingo de Jesus Cristo Rei do Universo, “rosto vivo da misericórdia do Pai”. A ONU declarou 2016 como um Ano Internacional das Leguminosas. 2016 também será o Ano do Entendimento Global.
Todas estas comemorações e outras efemérides mobilizadoras, a terem lugar, irão trazer consigo vários meios e uma diversificação variada de recursos que são oportunidades para a vida da associação, entre outros níveis na região, e nela da espiritualidade cristã.

> Sede Regional
A finalização da 1ª fase da construção da sede para a Junta Regional no Bairro de Santiago da freguesia da Glória, é uma realidade motivadora de e para toda a região. Surge assim a necessidade de convocar a região para a fase conclusiva deste equipamento de serviços regionais, sendo necessário estabelecer um “apelo especial” de atenção e de sensibilização de toda a região a participação ativa, consciente e generosa neste esforço final.

Pe. Manuel Augusto Marques de Oliveira
Assistente Regional

Diácono Élio Simões
Assistente Regional Adjunto

 

 

ANO 2014|2015

I. Notas Iniciais
A Assistência Regional, constituída pela Equipa Regional da Assistência (ERA), irá dar sequência nos próximos três anos a um projeto mais alargado – e que se encontra expresso no plano trienal. A compreensão dos seus objetivos e o entendimento das estratégias a eles ligados, verificando a sua normal transversalidade, poderão agilizar algumas realizações do CNE na Região de Aveiro. Neste plano alargado, ao iniciar o “Ano Um” de um tempo virado para a ousadia de ativar aquilo que é essencial, a oportunidade do apoio natural de novas e empenhadas lideranças, bem como o estímulo responsável de um trabalho em equipa organizado, estruturado e consciente terão certamente um peso maior no atingir das metas que estão em correlação e (sobre)vivem desse vínculo. Há evidentes ligações (e o reiterar da insistência) a planos anteriores, o que manifesta a insatisfação pelos impactos atingidos, a verificação das possibilidades e a consciência das dificuldades e obstáculos enfrentados.

II. Realizações
Há contextos gerais que influenciam conscientemente qualquer plano e nele os seus pressupostos e as suas atividades. Em início de atividade pastoral na nossa diocese, D. António Manuel Moiteiro Ramos, está a reunir as pessoas e os grupos de dinamização eclesial e com eles a estabelecer as metas e os meios para a expressão, um Plano Diocesano claramente influenciado pelas convocações recentes a uma missão de participação, transformação e proximidade. O presente documento da Junta Regional e seu Plano Trienal estão já convictamente mergulhados nesse dinamismo.
Neste “Ano Um” irá também decorrer o «Ano para a Vida Consagrada» que terá o seu começo oficialmente no próximo dia 30 de novembro, primeiro domingo do Advento e se estenderá até o dia 2 de fevereiro de 2016. O escutismo, na sua proposta de desenvolvimento global, é também um meio para a descoberta desta vida consagrada e ocasião particular para dar resposta generosa ao chamamento a uma vida de consagração. Iremos ter em conta este contexto nas várias propostas e ações a promover.
A vida do Corpo Nacional de Escutas (CNE) tem a sua realização plena junto dos agrupamentos, perto dos grupos e no contacto e interação com as crianças, adolescentes e jovens. A renovação da ação pedagógica ocorrida há poucos anos, traduzida no “Programa Educativo do CNE” e no recente “Sistema de Formação de Adultos”, coloca novos desafios também às lideranças locais e seus naturais parceiros. Deste modo, a ERA irá concretizar alguns encontros com assistentes nessas vertentes, de forma a contribuir para uma melhor agilização de papéis (funções) e intervenções. Além disso, a atividade ANIMA, que ocorria em finais de setembro de cada ano com dirigentes e candidatos a dirigentes, terá no próximo ano um figurino renovado (irá denominar-se “ANIMATIVA”) em virtude de vários fatores.
Queremos ousar… em conjunto.

Pe. Manuel Augusto Marques de Oliveira
Assistente Regional

Diácono Élio Simões
Assistente Regional Adjunto

COMMENTS

Leave a Comment