AMBIENTE E PROTEÇÃO CIVIL

ambiente e PC_1150px

ANO 2016|2017

PROTEÇÃO CIVIL

Não tem sido fácil a constituição de uma equipa regional que dinamize com uma presença constante junto das entidades competentes. Os escuteiros fazem parte da cadeia de socorro, contudo não é fácil fazer esta uma articulação sólida com instituições profissionalizadas.
Existe a necessidade crescente de olhar para a proteção civil como uma ferramenta no processo educativo. Nos dias de hoje a necessidade de acautelar possíveis situações de risco é essencial para a formação integral dos escuteiros.
Neste sentido, vamos continuar a promover ações para sensibilizar os dirigentes da nossa região para a necessidade de acautelar situações de risco.

Miguel Oliveira 681 Sangalhos
José Ventura 588 Gafanha da Nazaré
DRPC

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

ANO 2015|2016

A SRAPC engloba dois departamentos que, embora distintos, têm alguns pontos de interseção na sua aplicabilidade prática e que, por isso, foram integrados numa mesma secretaria. Por motivos perfeitamente justificados, a Chefe Mónica Monteiro, responsável pela Secretaria, não pôde continuar a disponibilizar-se para estar neste projeto o que, conforme abaixo se explicita de forma determinante, comprometeu – por falta de soluções em tempo útil – o desenvolvimento que seria esperado em especial no DRA.
Por outro lado, e já no que se reporta ao DRPC que tem como coordenador o Chefe Miguel Oliveira, o caminho está a ser feito e os objetivos a ser cumpridos.
O ano de 2016 servirá ainda para consolidar as equipas e estabelecer/rever propósitos estratégicos para ambos os departamentos que, assim, garantam o cumprimento dos objetivos propostos.

A Chefia Regional

AMBIENTE
A impossibilidade, por questões pessoais, da responsável por esta secretaria continuar a assumir a sua coordenação, veio, no princípio deste mandato, colocar algumas dificuldades iniciais no desenvolvimento dos objetivos propostos.
Estamos certos que no ano de 2016 já teremos a secretaria a funcionar em pleno e, seguindo este pressuposto, arrogamo-nos indicar alguns dos objetivos que julgamos pertinentes e essenciais, sendo que passíveis de serem reajustados.
Será também importante reforçar a parceria a estabelecer com a gestão do CENFA com o objetivo de aproveitar as sinergias e as potencialidades existentes para desenvolver esta área do conhecimento e o seu desenvolvimento prático.
Estamos a concluir em 2015, e queremos novamente recordar, a década Internacional “Água para a Vida” e estamos na parte final da década das Nações Unidas para a “Educação do Desenvolvimento Sustentável”, sendo que este ano de 2015 ainda se vive o Ano Europeu para o Desenvolvimento. Para além disso, iniciámos há pouco tempo a década, também no âmbito das Nações Unidas, sobre a Biodiversidade. Também há a considerar neste ano de 2015 o Ano Internacional da Luz e também dos Solos.
Teremos em 2016 o Ano Internacional das Leguminosas declarado pela ONU, todos estes acontecimentos são propostas para melhor vivermos a relação do ser humano com o ambiente que nos rodeia, como é apanágio do escuteiro.

PROTEÇÃO CIVIL
A Proteção Civil Regional tem como principal objetivo, para o próximo ano, revitalizar o ser departamento com a criação de um equipa base que estabelecerá uma estreita ligação com cada responsável dos agrupamentos da nossa Região.
A equipa a formar irá desenvolver campanhas de sensibilização para questões relacionadas com a segurança nas atividades que os agrupamentos planeiam. Para além desta sensibilização, pretende-se capacitar um responsável em cada agrupamento para as diversas situações que poderão ocorrer nas atividades típicas do escutismo através de ações de curta duração.
Nesse sentido, priorizamos algumas ações quer ao nível regional quer ao nível dos agrupamentos.

Miguel Oliveira 681 Sangalhos
José Ventura 588 Gafanha da Nazaré
DRPC

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

ANO 2014|2015

O ambiente que nos rodeia durante as atividades escutistas, quer seja na sede ou em campo, é espaço de oportunidades e deve ser garantida a sua qualidade, mas também de perigos que deverão ser prevenidos. A SRAPC pretende alertar e consciencializar para a proteção da natureza e para a segurança das pessoas, assim como para a preparação dos escuteiros no auxílio que devem prestar ao próximo.
A SRAPC pretende reforçar a ligação entre a Secretaria Nacional para o Ambiente e Prevenção e os agrupamentos da Região de Aveiro, promovendo as diversas iniciativas lançadas a nível nacional. A nível regional a SRAPC tem como principais objetivos desafiar os agrupamentos a nível ambiental, divulgar diferentes espaços na região que podem ser utilizados para atividades escutistas, formar a equipa de Delegados de proteção civil e divulgar o RadioEscutismo na região. A SRAPC pretende também incentivar os escuteiros da Região de Aveiro a lançarem-se na conquista da Insígnia Mundial de Ambiente e nas Especialidades relacionadas com o ambiente e a proteção civil.

Mónica Monteiro
SRAPC

 

Leave a Comment